Grafoscopia

Grafoscopia

O procedimento de Grafoscopia determina que a metodologia a ser empregada consista no desenvolvimento do exame de documentos e de padrões de confronto; nos cotejos e trescotejos entre documento questionado e respectivos paradigmas; na determinação das convergências e divergências; na coordenação dos dados técnicos apurados; na preparação das ilustrações; na utilização de aparelhos especiais.

Do documento questionado na perícia grafoscópica, se recomenda analisar os particulares técnicos, verificando especificações, suportes, registros gráficos, tintas, instrumentos escreventes, condições físicas, marcas, manchas e sujidades, alterações (acréscimos, rasuras, lavagens químicas e recortes), dobras, amassamentos, colagens, queimaduras, borrões, recobrimentos, enrugamentos, perturbações e idiografismos, devendo ser efetuados os levantamentos, com anotações e interpretações, dos elementos técnicos, mínimos gráficos e demais aspectos que possibilitem determinar o máximo de características originais e particulares dos registros gráficos do documento em questão.

Deve-se observar que documentos provenientes de cópias possuem tão somente registros gráficos de impressões, mesmo que representem grafismos, possibilitando tão somente determinar com segurança a origem do equipamento que produziu tais impressões. E ainda que manifestações outras sobre as cópias somente podem ser apresentadas com as devidas reservas, devido às incertezas inerentes ao âmbito do hipotético.

O procedimento de Grafoscopia pode ser estabelecido em laudos determinados pelo Magistrados em processos judiciais, em procedimentos de arbitragens, ou mesmos por iniciativas de empresas e pessoas físicas servindo-se a aclarar diversas situações como suposta falsificação de assinaturas, textos etc,sobre contratos, textos, declarações , testamentos e outros vários tipos de documentos.